Este sítio utiliza cookies

Estes cookies são essenciais quer para melhorar as funcionalidades quer para melhorar a experiência de utilização do sítio ALEA.

        

O acesso à internet em casa continua a aumentar, abrangendo 79% dos agregados em 2018, mais 2 pontos percentuais (p.p.) que no ano anterior e mais 26 p.p. que em 2010. Quase todos os agregados com acesso à internet em casa dispõem de banda larga.

Em 2018, 81% dos utilizadores acederam à rede em mobilidade, principalmente através de telemóvel ou smartphone; 67% dos residentes utilizaram ou instalaram aplicações no smartphone. A proporção de utilizadores de internet banking com idade dos 16 aos 74 anos é de 52%, tendo aumentado 10 p.p. em relação ao ano anterior.

37% dos residentes com 16 a 74 anos utilizaram o comércio eletrónico nos 12 meses anteriores à entrevista, mais 3 p.p. que no ano anterior e mais 22 p.p. relativamente a 2010, mas em nível inferior à taxa de utilização na União Europeia.

 

A proporção de famílias com ligação à internet em casa através de banda larga continua a aumentar

 

Em 2018, 79% dos agregados familiares em Portugal têm ligação à internet em casa, mais 2 pontos percentuais (p.p.) que no ano anterior. A quase totalidade destes agregados utiliza a ligação à internet através de banda larga. 

 

Figura 1. Proporção de agregados familiares com ligação à internet e por banda larga em casa, Portugal, 2010-2018

 

Apesar de a ligação através de banda larga a partir de casa ter aumentado 27 p.p. desde 2010, a taxa de penetração deste tipo de ligação entre as famílias portuguesas continuava a ser inferior à registada para as famílias da União Europeia (UE-28).
 

Figura 2. Proporção de agregados familiares com ligação através de banda larga em casa, Portugal e UE-28, 2010-2018

 

Os níveis de acesso à internet e de ligação através de banda larga continuam a ser mais elevados, em 2018, nas famílias com crianças até aos 15 anos: 96% têm acesso à internet em casa e 94% fazem-no através de banda larga.

 

Figura 3. Proporção de agregados familiares com ligação à internet e ligação através de banda larga em casa, por composição familiar, Portugal, 2018

 

As famílias sem crianças registam, em geral, níveis de acesso mais reduzidos (75% referem ter acesso à internet em casa e 72% utilizam banda larga). Excetuam-se as famílias sem crianças, mas que incluem 3 ou mais adultos, com 90% de acesso à internet (87% através de banda larga).

Tanto a ligação à internet em casa, como a utilização de banda larga, são, em 2018, mais frequentes na Área Metropolitana de Lisboa e nas Regiões Autónomas dos Açores e da Madeira. A região do Alentejo continua a apresentar os níveis de acesso à internet e banda larga mais baixos do país (respetivamente, 71% e 67%).

 

A proporção de utilizadores da internet aumentou 22 p.p. em relação ao início da década

 

Em 2018, 75% dos residentes em Portugal com 16 a 74 anos referem ter usado a internet nos 12 meses anteriores à entrevista, proporção que confirma a tendência de crescimento (mais 22 p.p.) face ao início da década.
Apesar desta evolução, continua a verificar-se um distanciamento face à média da UE-28.
 
 

Figura 4. Proporção de pessoas com 16 a 74 anos que utilizaram internet nos 12 meses anteriores à entrevista, Portugal e UE-28, 2010-2018

A taxa de utilização da internet pelos homens (77%) é superior à das mulheres (74%).

A proporção de utilizadores de internet diminui de forma acentuada com o aumento da idade. Se antes dos 55 anos as proporções de utilizadores são sempre superiores a 80%, o valor deste indicador reduz-se para 55% no grupo etário dos 55 aos 64 anos e para 34% no caso da população com 65 ou mais anos de idade. 
 

Figura 5. Perfis das pessoas com 16 a 74 anos que utilizaram internet nos 12 meses anteriores à entrevista, 2018

 

Por outro lado, as taxas de utilização da internet são significativamente mais elevadas para as pessoas que concluíram o ensino superior (98%) e o secundário (97%).

 

Aumenta a proporção de utilizadores de internet em mobilidade

 

O acesso à internet em mobilidade (fora de casa e do local de trabalho e em equipamentos portáteis) é referido por 81% dos utilizadores de internet em 2018, mais 2 p.p. que no anterior e mais do que duplicando a proporção registada há cinco anos.

O telemóvel/smartphone é o principal tipo de equipamento portátil utilizado para aceder à internet em mobilidade, sendo referido por 79% dos utilizadores de internet.

 

Figura 6. Proporção de pessoas com 16 a 74 anos que utilizam internet em equipamentos portáteis fora de casa e dolocal de trabalho, por tipo de equipamento, Portugal, 2018

 

 

67% dos residentes utilizam ou instalaram aplicações no smartphone

 

Cerca de ⅔ da população com 16 a 74 anos utiliza ou instalou aplicações de internet no smartphone (67%) em 2018. É nos mais jovens, nos mais escolarizados e nos estudantes que se observam as percentagens mais elevadas de utilizadores deste tipo de aplicações.

Estes utilizadores procuram salvaguardar a segurança e privacidade associadas à utilização do smartphone, uma vez que 41% utilizam algum tipo de software de segurança (antivírus, anti-spam ou firewall), e 45% já restringiu ou recusou o acesso de aplicações aos seus dados pessoais.

Por outro lado, o procedimento de identificação mais utilizado no acesso a serviços online consiste na introdução do nome de utilizador e palavra-chave. Igualmente relevantes no acesso a serviços online são os códigos de segurança recebidos através do telemóvel (51%) e as credenciais de acesso das redes sociais (49%).

 

Aumentou em 10 p.p. a proporção de pessoas que aderiram ao internet banking

 

A proporção de residentes que referem utilizar a internet para procurar informação sobre bens ou serviços é de 85% em 2018, valor superior ao geralmente verificado na UE-28.

Em 2018, 52% dos utilizadores de internet com 16 a 74 anos de idade referem gerir a conta bancária através do acesso online (internet banking), mais 10 p.p. que no ano anterior, mas ainda em nível inferior ao que tem vindo a ser registado na UE-28.

 

Figura 7. Proporção de pessoas dos 16 aos 74 anos que utilizam internet para procurar informação sobre bens ou serviços, Portugal e UE-28, 2010-2018

 

37% da população faz compras pela internet

 

Em 2018, 37% dos residentes em Portugal com 16 a 74 anos referiram ter utilizado o comércio eletrónico nos 12 meses anteriores à entrevista, ou seja, mais 3 p.p. que no ano anterior e mais 22 p.p. relativamente a 2010.

 

Figura 8. Proporção de pessoas dos 16 aos 74 anos que utilizaram comércio eletrónico nos 12 meses anteriores à entrevista, Portugal, 2010-2018

Apesar deste crescimento, a proporção de residentes em Portugal que utilizaram a internet para efetuar encomendas nos 12 meses anteriores à entrevista tem vindo a ser persistentemente inferior à taxa de utilização na UE-28 (57% em 2017).

Os principais produtos ou serviços encomendados através da internet são roupas ou equipamentos desportivos (60% dos utilizadores do comércio eletrónico nos 12 anteriores à entrevista), reservas de alojamento (48%), artigos para casa (36%) e bilhetes para espetáculos ou eventos culturais ou desportivos (30%).

A taxa de utilização do comércio eletrónico pelos homens (39%) é superior à das mulheres (35%) e é mais frequente nos grupos etários mais jovens, em particular na população com 25 a 34 anos (70%).

Por nível de escolaridade, as taxas de utilização do comércio eletrónico são, tal como no caso da internet, mais elevadas para as pessoas que completaram o ensino superior (66%) e para aquelas que concluíram o secundário (53%).
 
Os estudantes são também dos que mais utilizam o comércio eletrónico (62%).
 
Figura 9. Proporção de pessoas dos 16 aos 74 anos que utilizaram comércio eletrónico nos 12 meses anteriores à entrevista, por produtos ou serviços encomendados, Portugal, 2018
 

Figura 10. Perfis das pessoas com 16 a 74 anos que utilizaram comércio eletrónico nos 12 meses anteriores à entrevista, Portugal, 2018

 

 

A utilização de correio eletrónico é a atividade de informação e comunicação mais transversal aos empregados em Portugal

 

A principal atividade de informação e comunicação realizada pelas pessoas empregadas em Portugal é a troca de mensagens de correio eletrónico no âmbito das suas tarefas profissionais. Seguem-se a utilização de software específico para a sua atividade profissional (44%) e a introdução de dados em bases de dados (40%).

A utilização das tecnologias de informação e comunicação tem permitido alterar vários aspetos no trabalho dos residentes, destacando-se a colaboração com colegas, clientes e fornecedores (25%), a autonomia na organização das tarefas (21%) e o acompanhamento do desempenho no trabalho (19%).

 

Figura 11. Proporção de pessoas empregadas dos 16 aos 74 anos que utilizaram internet nos 12 meses anteriores à entrevista, por tipo de atividade realizada, Portugal, 2018

Para saber mais ...

 

Nota Técnica
 
Os indicadores apresentados nesta Atualidade destaque foram construídos a partir dos dados do Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias (IUTICF), realizado anualmente pelo INE desde 2002.
O IUTICF baseia-se numa amostra representativa dos agregados familiares residentes em Portugal com pelo menos um indivíduo com idade entre 16 e 74 anos.
 
As estimativas apresentadas foram obtidas a partir de uma amostra de 6 671 agregados domésticos; foi entrevistada uma pessoa com idade entre os 16 e os 74 anos em cada um dos agregados.
 
O período de referência da informação é o momento da entrevista para os dados relativos aos agregados domésticos. Os indicadores relativos a pessoas podem estar referenciados aos 3 meses ou 12 meses anteriores ao momento da entrevista.
 
Fonte: INE (21 de novembro de 2018), informação disponível no respetivo Destaque. Poderá aceder de forma gratuita ao Destaque integral em formato pdf e aos Quadros estatísticos em formato de folha de cálculo.
Conceitos acessíveis no Glossário do ALEA.
 

 

Alguns títulos da divulgação na Comunicação Social

 

Metade dos portugueses com internet gere contas bancárias online

A proporção de população nacional que faz a gestão de contas bancárias na internet cresceu 10 pontos percentuais no último ano. Mas, mesmo assim, está aquém da média europeia.

In Jornal de Negócios

 

Três em cada quatro portugueses utilizam internet. E mais de metade troca o balcão pelo banco online

Os utilizadores de internet banking estão a aumentar a um ritmo acelerado. Em 2018, mais de metade dos utilizadores de internet já se rendeu ao banco online para manter as contas debaixo de olho.

In ECO - Economia online

 

O computador já não é o rei da Internet para os portugueses

NE revela que em 2017 continua a haver mais homens do que mulheres online em Portugal, e são os estudantes que mais usam a Internet, mas a popularidade do smartphone está a aumentar.

In Público

 

Internet está em quase 80% dos lares em Portugal

Percentagem dos portugueses que utilizaram a internet em 2017 é inferior à média europeia, mas o número de internautas aumentou 22 pontos percentuais desde 2010.

In tvi24

 

37% dos portugueses já fazem compras pela internet e 52% relacionam-se com o seu banco

Em 2018 aumentou o número de portugueses que utiliza internet quer para fazer compras quer para gerir as suas contas bancárias. 98% das empresas tem acesso à internet.

In Expresso

 

Quase 80% das famílias tem acesso à Internet e um terço já fez compras

Quase 80 por cento das famílias portuguesas têm acesso à Internet, e um terço já a usou para encomendar bens ou serviços, mais do dobro do que no início da década, segundo números do Instituto Nacional de Estatística.

In Diário de Notícias